Obs.: a página impressa não é necessariamente idêntica à página exibida na tela.
Voltar ao topo.

Classe C: a mais empreendedora

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:empregar, reconhecimento, pensam, dar, família, parentes, ter e região297 palavras4 min. para ler
Classe C: a mais empreendedoraVer imagem ampliada
O empreendedorismo está em alta no Brasil, e é um dos motores do crescimento da nossa economia. A chamada nova classe média, ou classe C, foi identificada como a mais empreendedora do país.

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Data Popular indicou que dos 19,7 milhões de brasileiros que gostariam de abrir um negócio próprio, 11,5 milhões (58%) são da classe C, ou seja, têm renda familiar mensal R$ 2.295, em média. Em segundo lugar estão as classes D e E, com 27,2%, e em terceiro as classes A e B, com 14,5%.

O site InfoMoney publicou uma matéria em que dá mais detalhes sobre o perfil dos empreendedores. A maioria pensa em abrir empresa familiar (40,9%), seguida de home office (18,2%), franquia (17,7%), comércio eletrônico (16,1%), associação (5,2%) e cooperativa (1,8%).

Ao considerar a faixa etária, os mais empreendedores estão entre os 25 e 44 anos (38,2%), seguidos de perto pelos jovens até 24 anos (31,7%) e adultos com mais de 45 anos (30,1%). Os homens são maioria, com 54%. Enquanto os universitários buscam abrir o negócio próprio para aplicar os conhecimentos adquiridos durante os estudos e ter sucesso e reconhecimento, os adultos de classe média pensam em dar melhores condições à família, e até empregar parentes na empresa.

A Região Sul é a segunda com mais empreendedores (21,5%) e só perde para o Sudeste (35%). Em seguida estão Nordeste (19,4%), Norte (12,8%) e Centro-Oeste (10,5%).

A matéria publicada pelo jornal Estado de S. Paulo amplia as informações da pesquisa. Informa que 44% das pessoas que hoje estão nas classes A e B vieram de famílias mais humildes. Ou seja, foram criados em condições mais difíceis do que as que vivem hoje.

No texto, o sócio-diretor do Data Popular, Renato Meirelles, afirma que o motor de crescimento da classe média foi o emprego, mas será o empreendedorismo que a levará adiante. Nada como ser independente e trabalhar para si próprio, não?

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it