Obs.: a página impressa não é necessariamente idêntica à página exibida na tela.
Voltar ao topo.
Proteger Marcas e PatentesÁrea do cliente

Fabricante da Mercedes vende quota na marca de carros elétricos Tesla

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:pt, cotada, nasdaq, acontece, quando, valor, trajetória e descendente467 palavras7 min. para ler
Fabricante da Mercedes vende quota na marca de carros elétricos TeslaVer imagem ampliada
A Daimler, fabricante dos Mercedes-Benz e dos Smart, decidiu vender uma participação de cerca de 4% que tinha há cinco anos na americana Tesla, cujos carros elétricos de luxo começam a ser concorrentes de modelos da marca alemã. A venda rendeu à Daimler 780 milhões de dólares. Não foi divulgado o comprador.

O fim da participação na estrutura acionista não significa necessariamente que as duas empresas deixem de colaborar, frisou o responsável financeiro da Daimler, num comunicado emitido na terça-feira à noite, após o fechamento das bolsas nos EUA. “Estamos extremamente satisfeitos com o progresso do nosso investimento na Tesla, mas não é necessário para a nossa parceria e colaboração. Por esta razão, decidimos alienar as nossas ações”, afirmou Bodo Uebber.

A tecnologia da empresa americana foi usada pela Daimler para desenvolver um Mercedes Class B elétrico. Este modelo, porém, começou este ano a ser vendido nos EUA, que é de longe o principal mercado da Tesla (num distante segundo lugar está a Noruega, graças sobretudo aos incentivos estatais para a compra de veículos elétricos). O carro elétrico da Mercedes é significativamente mais barato do que os modelos da Tesla - 40 mil dólares é a proposta mais econômica da marca alemã, contra 71 mil dólares do lado da Tesla. No entanto, a fabricante americana já anunciou planos para comercializar um modelo em torno dos 35 dólares, ao passo que os carros mais caros acabam também por concorrer com os modelos não elétricos da Mercedes.

A Daimler disse que continuará a comprar da Tesla baterias para o Class B elétrico, mas não especificou se continuará a usar a empresa americana como fornecedora para outros automóveis. 

A venda da participação na Tesla, que é cotada no Nasdaq, acontece quando o valor das ações está em trajetória descendente. Depois de um pico em Agosto do ano passado, no qual a cotação superou os 286 dólares, o preço começou a cair. Na terça-feira, as ações chegaram ao fim da sessão na bolsa a valer 235,34 dólares.

A decisão da Daimler segue-se ainda a uma decisão do fundador da Tesla, o excêntrico empresário Elon Musk, de deixar qualquer fabricante usar a tecnologia desenvolvida pela Tesla. 

“A Tesla Motors foi criada para acelerar o advento da indústria de transportes sustentáveis. Se abrimos caminho para a criação de veículos eléctricos atrativos, mas depois colocamos atrás de nós as minas da propriedade intelectual para inibir os outros, estamos agindo de forma contrária a essa meta”, escreveu Musk, em Junho.

“A Tesla não irá mover processos relacionados com patentes contra ninguém que, em boa fé, queira usar a nossa tecnologia”, disse. Musk foi presidente executivo da empresa que veio a dar origem ao sistema de pagamentos electrônicos PayPal e é também o fundador de uma empresa de transporte espacial que quer levar humanos a Marte.


Fonte: www.publico.pt

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it