Voltar ao topo.

Nova York a Londres em 90 minutos: Airbus registra patente de novo jato supersônico

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:empauta, aeronaves, apresentado, somente, tupolev, tu, permite e melhorar378 palavras6 min. para ler
Nova York a Londres em 90 minutos: Airbus registra patente de novo jato supersônicoVer imagem ampliada
Uma viagem aérea de Nova York a Londres dura quase sete horas. A fabricante de aviões Airbus quer, no entanto, cruzar o Oceano Atlântico norte mais rápido e pretende investir em um projeto que reduz a duração do trajeto para 90 minutos. A empresa registrou uma patente de jato supersônico no Escritório de Patentes dos Estados Unidos que poderia alcançar a proeza, segundo informações da “CNN Money“.
 
A nova patente da Airbus, originalmente registrada em 2010 e autorizada no mês passado, diz respeito a um jato, chamado de “veículo aéreo ultrarrápido“, que supera até quatro vezes a velocidade do som. O avião poderia carregar até 20 passageiros ou até três toneladas de carga por distâncias de cerca de 8.850 quilômetros - Nova York e Londres distam quase 5.600 quilômetros uma da outra.
 
A patente tem duração de um ano e descreve um jato que poderia carregar “passageiros VIP e executivos, que precisam de jornadas transcontinentais dentro de um dia“. O registro explica que a aeronave reduziria o barulho do “estrondo supersônico“ causado quando o jato quebra a barreira do som.
 
Não é a primeira vez que tentam encurtar o tempo da viagem. O modelo Concorde - construído pela empresa precursora da Airbus, a Aérospatiale, com a British Aircraft Corporation entre 1965 e 1978 - conseguiu voar da Big Apple à capital da Inglaterra em 3,5 horas antes de encerrar as atividades comerciais em 2003.
 
Segundo o documento apresentado no registro, além do Concorde, somente o modelo Tupolev Tu-144 é supersônico. O projeto da Airbus permite “melhorar o desempenho de ambas as aeronaves consideravelmente“, consta na descrição da patente.
 
No entanto, James Darcy, diretor de Comunicação Corporativa da companhia, afirmou que o projeto ainda está na fase de pesquisa e desenvolvimento e pode nunca ser executado de fato.
 
- O grupo Airbus e suas divisões registram centenas de patentes todo ano para proteger a propriedade intelectual - declarou Darcy à “CNN Money“ nesta terça-feira - Essas patentes têm base em conceitos de pesquisa e desenvolvimento e ideias em estágio primário de conceitualização, e nem toda patente progride a ponto de se tornar uma tecnologia ou produto integralmente realizada.
 
Segundo o portal de notícias, o diretor se recusou a comentar sobre o processo de patenteamento e afirmou que “neste momento, não vamos dar entrevistas ou mais informações sobre esse tema“.


Fonte: abpi.empauta.com

Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it