Voltar ao topo.

Tecido que adere à pele é inovação de startup SC-EUA

« Anterior« Última» Próxima» Primeira
ImprimirReportar erroTags:br, estado, ingressar, empresa, cultura, scmc, programa e incentiva254 palavras4 min. para ler
Tecido que adere à pele é inovação de startup SC-EUAVer imagem ampliada
O sonho de vestir roupas com design diferente, sensual, sem alças e outros suportes pode se tornar realidade no ano que vem. A GaussWear, startup binacional com sócios de Santa Catarina e Estados Unidos, baseada da incubadora Renitec, de Rio Negrinho, desenvolveu uma tecnologia para adesão de tecidos à pele, com aplicação inicial na alta costura. O empresário Juliano Froehner, diz que a inovação GaussWear, criada pelo seu sócio americano, o engenheiro aposentado David Pensak, deriva de um adesivo usado em cirurgias plásticas. A estreia no mercado será com marca catarinense nova que está sendo definida e já conta com parcerias com a Universidade do Contestado – Campus de Rio Negrinho – e a Univille. Conforme Froehner, além de coleção própria, a intenção é fazer parceria com um cliente europeu de moda que usará a novidade em coleção de 2015. Ele também pretende ingressar com a nova empresa no Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC), programa que incentiva inovação em moda no Estado.

Tecnologia e moda



Este ano, a GaussWear Tecnologia para Moda foi eleita uma das 50 startups mais promissoras de 2014 pela Fundação Kauffman, que promove a Semana Global do Empreendedorismo. E Juliano Froehner foi destaque também porque um aplicativo que lançou, o SMSBebê foi incluído em projetos de apoio à saúde da Fundação Bill Gates.

Os croquis desenhados pelos estudantes de moda para a GaussWear incluem looks com frente e costas. Na imagem abaixo, vestido criado pela estudante Vanessa Müller, da Universidade do Contestado. Abaixo, look praia também desenhado por ela.


Fonte: wp.clicrbs.com.br


Ver imagem ampliada
Compartilhar página nas rede sociais:
CompartilharCompartilharTweetarCompartilharPin it